Domingo, Outubro 25, 2020

Em cada esquina, um fotógrafo

[dropcap size=big]A[/dropcap] vida está longe de estar fácil para um fotógrafo profissional. A imprensa está a cortar nos orçamentos e não é só em Portugal que se procura cada vez mais o que é barato, mesmo que isso custe na qualidade – if you pay peanuts, you get monkeys. A onda de despedimentos em jornais é absolutamente assustadora e há meios de comunicação que acham que podem dispensar os fotógrafos profissionais e confiar o trabalho de captação de imagem aos redatores, já que os equipamentos de bolso estão tão evoluídos que chegam perfeitamente para o que é. Quer-me parecer que já vão longe os tempos em que uma publicação digna via na escolha de uma boa imagem para a capa um processo de atingimento de um qualquer nirvana.

Uma rede de fotógrafos pelo mundo em http://blink.la
Uma rede de fotógrafos pelo mundo em http://blink.la

Profissionalmente, fiz casamentos e batizados e publiquei pontualmente fotografias minhas pelos jornais onde passei, onde fui jornalista. Mas tenho a noção de que se saísse hoje para a rua com a câmara na mão nessa bonita e livre condição de freelance bem que podia apostar no pão e na água para o repasto.

Uma vez na Blink, os fotógrafos podem comunicar entre si e têm a oportunidade, inclusive, de colaborar entre si para um trabalho maior. Basta estar no momento certo à hora certa.

Estou a ser pessimista? Talvez. Mas foi a pensar nisto que surgiu a Blink, uma empresa que faz algo tão simples como agregar uma rede de fotógrafos (e não só, mas este blogue é sobre fotografia) espalhados pelo mundo para que quem procure uma boa imagem possa contratar à distância. Para já, a rede funciona apenas por convite – identificamo-nos, mostramos o portefólio, dizemos quem somos e do que somos capazes e a empresa depois contacta-nos (ou não). Uma vez na rede, instala-se uma app no telefone que através de GPS dará indicações sobre se estamos geograficamente bem posicionados para sermos fotograficamente úteis a alguém por esse mundo fora.

Não sei se resulta, mas a ideia tem tanto de simples como de interessante. Se rebentar uma revolução à minha volta, o meu olhar pode ser útil no outro lado do mundo. Se esta plataforma vai permitir tornar justos os preços praticados na área… duvido. Mas pode ser uma porta de salvação para um negócio que neste momento tem muitas dificuldades em sobreviver.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Também vai querer ler