Mário Cruz (www.mario-cruz.com) é um fotógrafo português de 27 anos de idade cujo trabalho, publicado na passada sexta-feira pelo Lens, o blogue de fotografia do The New York Times, me deixou agarrado ao ecrã vários minutos, consumindo lentamente detalhe a detalhe de cada uma das 20 imagens de verdadeiro fotojornalismo documental sob o tema “An Elusive Roof of One’s Own in Lisbon”. Um projeto em que Mário Cruz explora com a sua lente o mundo dos sem abrigo em Lisboa, documentando e partilhando connosco imagens de uma força ilimitável sobre as suas condições de vida.

© Mario Cruz - www.mario-cruz.com. Um homem dirige-se a sua casa num bairro abandonado de Lisboa com um estrado de cama que encontrou no lixo.

© Mario Cruz – www.mario-cruz.com. Um homem dirige-se a sua casa num bairro abandonado de Lisboa com um estrado de cama que encontrou no lixo.

Mário Cruz nasceu em Lisboa em 1987, é fotojornalista e trabalha presentemente para a agência noticiosa Lusa. De acordo com o próprio, no seu site (mario-cruz.com), começou a focar-se no desenvolvimento de projetos pessoais em 2012 e, já este ano, o seu projeto “Recent Blindness” foi publicado pelo The New York Times, conquistou o Prémio de Fotojornalismo 2014 da Estação de Imagem | Mora e foi finalista para a categoria Human Values da edição de 2014 dos Prémios da revista de fotografia espanhola OjoDePez.

© Mario Cruz - www.mario-cruz.com. J. Gomes toma banho no seu quarto, num bairro municipal abandonado.

© Mario Cruz – www.mario-cruz.com. J. Gomes toma banho no seu quarto, num bairro municipal abandonado.

“An Elusive Roof of One’s Own in Lisbon” é um projeto fotográfico que mexe connosco, graças à iniciativa de um fotógrafo que foi onde poucos vão para documentar uma triste realidade da qual somos vizinhos. As 20 imagens publicadas pelo The New York Times foram feitas este ano, em 2014, e, de acordo com a explicação de Mário Cruz, demonstram um Portugal que não foi tão exposto como outros países após o severo empobrecimento dos últimos anos. “Ao contrário do que aconteceu com outros países da Europa, como Espanha e Grécia, Portugal não teve tanto destaque”, explica Mário Cruz, referindo-se aos efeitos da crise financeira e ao programa de intervenção da Troika.

© Mario Cruz - www.mario-cruz.com. J. Gomes, aos 63 anos de idade, habita num quarto de um bairro votado ao abandono, usando uma escada feita à mão para entrar em sua "casa". Vive da bondade de vizinhos que lhe dão conservas.

© Mario Cruz – www.mario-cruz.com. J. Gomes, aos 63 anos de idade, habita num quarto de um bairro votado ao abandono, usando uma escada feita à mão para entrar em sua “casa”. Vive da bondade de vizinhos que lhe dão conservas.

O rosto do desemprego, da falta de um tecto próprio debaixo do qual viver, foi um tema que preocupou seriamente Mário Cruz. Após uma primeira abordagem junto dos sem abrigo que quis fotografar, ainda sem a câmara com ele, foi conquistando a abertura necessária para a essencial relação de confiança que “lubrifica” o olhar fotográfico. Depois disso, Mário Cruz avançou para a partilha de espaço para capturar os momentos agora documentados, de pessoas que coabitam em fábricas abandonadas, em “habitações” improvisadas e precárias, criando assim um dos melhores projetos fotográficos que vi ultimamente e que, lamentavelmente, é preciso ser publicado num site de referência internacional para que me chegasse aos olhos.

Portugal está de parabéns por ter Mário Cruz, cujo trabalho vou agora acompanhar com a máxima atenção.

Leave a Reply

Your email address will not be published.