Capa do livroMacau não é – nunca foi – um destino distante qualquer para os portugueses. Hoje território da República Popular da China, foi Portugal em plena Ásia durante quatro séculos, até 1999. No entanto, poucos são os portugueses que podem afirmar alguma vez lá ter estado (incluindo-me eu neste grupo). Mas se não vai Maomé à montanha…

© Gonçalo Lobo Pinheiro
© Gonçalo Lobo Pinheiro
© Gonçalo Lobo Pinheiro
© Gonçalo Lobo Pinheiro

O fotógrafo Gonçalo Lobo Pinheiro propôs-se o desafio de partilhar a sua visão sobre Macau e apresenta-nos agora um livro de um olhar poderosíssimo sobre o país com o qual convive há cinco anos. Num testemunho distribuído por um bom punhado de imagens, “Macau 5.0” é uma obra que faz viajar até nós a oportunidade de sentir o povo macaense num conjunto de fotografias em que o preto e branco faz vincar contrastes, costumes, tradições e vivências. Obrigatoriamente faz-nos passar por uma reflexão sobre a influência portuguesa num cenário que é a Ásia, mas que não é puramente asiático, correndo-se o risco de semear em nós um fascínio sobre um país que para muitos, provavelmente, nunca esteve na lista de prioridades para visitar.

© Gonçalo Lobo Pinheiro
© Gonçalo Lobo Pinheiro

A mensagem passa. Como qualquer fotógrafo deseja, Gonçalo Lobo Pinheiro converteu –  não tenho dúvidas em o afirmar – as suas intenções naquilo que verdadeiramente queria mostrar.  Mesmo sem a viagem física, o deambular pelas imagens de “Macau 5.0” leva-nos até uma mescla de modernidade com tradicional, uma fusão do secular com os dias de hoje, mas tudo isto embrenhado num povo que não deixa transparecer de forma fácil nas imagens (digo eu) a sua forma de estar com a vida.

“Macau 5.0”, que conta com o prefácio do escritor português José Luís Peixoto, é um livro obrigatório para quem gosta de fotografia documental e que é complementado ainda, apenas até dia 10 de outubro, pela exposição com o mesmo nome patente na Chancelaria do Consulado Geral de Macau e Hong Kong. Está à venda na Amazon e no site do fotógrafo.

Gonçalo Lobo PinheiroGonçalo Lobo Pinheiro

Gonçalo Lobo Pinheiro entra na carreira da fotografia em 2002 pelo jornalismo. Hoje com 36 anos de idade, tem essa via bem vincada, após o seu contributo para nomes emblemáticos da imprensa portuguesa, destacando-se a sua especialização em desporto enquanto colaborador do “A Bola” e partilhando também o seu olhar fotojornalístico com os leitores do Jornal “i”. Muitos outros meios têm vindo a publicar as suas imagens, incluindo o norte-americano “The Washington Post”.


É em 2010 que parte para novos desafios, viajando para Macau para integrar a equipa do “Hoje Macau” enquanto editor e fotojornalista. Neste momento é coordenador fotográfico da “Revista Macau”. A consolidação da sua carreira – que partilha com a de escritor, igualmente com obra publicada –  conferiu-lhe uma forma bem característica de olhar através das lentes, singularidade que, em conjunto com a sua vivência ao fim de cinco anos em Macau, dá como fruto o “Macau 5.0” que chega agora até nós.

One Response

Leave a Reply

Your email address will not be published.