Em semana de lan√ßamentos, hoje foi a vez da Canon de acabar com a longa e dura expectativa dos seus seguidores. Ap√≥s rumores falhados ‚Äď porque por vezes tamb√©m acontece ‚Äď a revela√ß√£o da nova c√Ęmara 7D Mark II √© finalmente feita, com in√≠cio de comercializa√ß√£o algures em novembro. Como em tudo na vida, as desilus√Ķes s√≥ visitam quem se ilude e, talvez por n√£o estar √† espera de nada em espec√≠fico e por a Canon ter protagonizado algumas asneiras pontuais, n√£o enverguei nenhuma impaci√™ncia espec√≠fica para ver o que a√≠ vinha.
C7DMas aí está, um novo equipamento que, no que é positivo, é mesmo muito positivo (digo eu) e no que é negativo acaba por não ser propriamente imperdoável. Espera-se para a Europa um valor abaixo dos 2000 euros (apenas o corpo), mas ainda é cedo para comentar a justiça deste valor.
Comecemos pelo que desilude: não há um upgrade do sensor para full frame. Mantém-se o formato APS-C, tal como acontecia com a antecessora 7D. Não há muito mais a apontar, para já, e por isso acho que se pode atalhar já para o que considero serem boas notícias.
DIGIC 6 dual. O melhor e mais potente processador do mercado, com a Canon, mais uma vez, na linha da frente e a anos luz da concorr√™ncia. No fundo, √© a marca japonesa a conseguir superar-se a si pr√≥pria, mesmo antes de respostas √† altura de outros fabricantes. No meio de todas as vantagens que daqui possam surgir, destacar-se-√°, certamente, uma imagem (ainda) mais limpa e cristalina quando as condi√ß√Ķes de luz est√£o do lado do inimigo (se assim j√° √© com os processadores antigos…).
Velocidade. Mais a gosto da malta do desporto, n√£o sendo a caracter√≠stica que mais me impressiona. Mas c√° vai: Capacidade de disparo de 10 fotogramas por segundo at√© 1000 imagens seguidas (em jpeg). Uau… talvez fosse √ļtil para fotografar os meus filhos nas suas fases mais irrequietas, se eu n√£o fosse fixado no RAW para tudo e mais um par de botas.
Sensibilidade à luz. ISO 100-16000 nativo. Preciso de dizer mais?
Focagem. √Č neste ponto que a Canon se tornou qualquer coisa de imbat√≠vel. Com a 5D Mark III, a marca tinha j√° dado um salto qualitativo sem precedentes na capacidade de focagem autom√°tica. Agora o salto √© ainda mais alto: 65 pontos de focagem (isto n√£o √© in√©dito) todos cross type (isto sim, √© novo). Ser√°, certamente, a precis√£o de focagem mais elevada alguma vez conseguida, provavelmente com uma margem de erro pr√≥xima do zero independentemente do desassossego do objeto a fotografar. √Č verdade, parece que vai deixar de ser necess√°rio colocar o objeto no centro da imagem para o focar com precis√£o independentemente de estar horizontal, vertical ou na diagonal. S√≥ faltou √† marca informar se consegue esta proeza em todas as aberturas ‚Äď geralmente o cross type s√≥ funciona em grandes aberturas, superiores a f/2.8.
60 fps em v√≠deo a 1080p. Esta √© para a rapaziada do v√≠deo e a minha inveja agudiza-se. Acho que com um DIGIC 6 dual, a Canon j√° podia estar a fazer melhor at√© do que isto, mas j√° √© algo que eu gostaria muito de ter numa c√Ęmara minha.
Sinal de v√≠deo limpo na sa√≠da HDMI. Esta sim. √Č a corre√ß√£o da mais incompreens√≠vel asneira da Canon em m√°quinas anteriores. A vantagem de poder ligar um gravador externo de v√≠deo que capte o sinal da c√Ęmara sem obst√°culos para o gravar em formatos de alta efici√™ncia (ProRes ou realidades mais pr√≥ximas do RAW), contornando assim o bolorento H264 interno √©, de facto, qualquer coisa de admir√°vel.
S√£o estes os pontos essenciais do remake de um modelo que j√° √© um dos mais bem sucedidos da marca japonesa. √Č um grande avan√ßo, mas tamb√©m sei que muita coisa fica a faltar. A Canon tem revelado alguma lentid√£o no progresso dos seus equipamentos, sobretudo no que diz respeito ao v√≠deo, e √© sabido que o potencial das suas c√Ęmaras √© bastante maior. Alguma raz√£o haver√°, certamente, para a Canon n√£o querer assumir no que fabrica as proezas do firmware alternativo Magic Lantern.
Para quem n√£o se interessa pelo v√≠deo, esta 7D Mark II √© talvez o melhor que o ano de 2014 ir√° p√īr no mercado. Para os que se interessam tamb√©m pelo v√≠deo, c√° estaremos para a chegada de equipamento 4K, frame rates mais elevadas e outras funcionalidades que j√° n√£o s√£o fic√ß√£o cient√≠fica em alguns produtos concorrentes.
Por agora ficamos por aqui. Quando tiver a oportunidade de testar uma Canon 7D Mark II à séria, prometo voltar ao assunto.

Leave a Reply

Your email address will not be published.