Pensei muito antes de decidir escrever este texto. Mas para já fica o aviso: O RELATO QUE SE SEGUE É SUSCEPTÍVEL DE PERTURBAR EMOCIONALMENTE O LEITOR. As imagens que o acompanham têm tanto de belo como de perturbador. Uma vez feito o aviso, a continuação da leitura fica inteiramente ao critério de quem já aqui chegou. A publicação destas imagens foi devidamente autorizada pela autora, Lindsey Natzic-Villatoro, a quem agradeço a simpatia e a rápida resposta ao meu pedido.

Lindsey Natzic-Villatoro é uma fotógrafa norte-americana de eventos familiares e de pessoas que se propõe “fotografar amor”. Até aí, nada de extraordinário face aos inúmeros fotógrafos que se dedicam às sessões de retratos familiares. Mas há uma característica que a diferencia largamente:  dentro dos serviços prestados pela sua marca, Love Song Photography, há um, denominado de “Forever Loved”, sob o qual Lindsey se propõe perpetuar na memória o amor que resulta de histórias menos felizes, com bom ou mau desfecho, e que vão desde o retratado com uma doença terminal a falecidos. Mas um trabalho como este, que aqui se relata, nunca tinha feito.

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography
© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

A história que me levou a encontrar o trabalho de Lindsey esmagou-me por completo. Se é verdade que a fotografia atende sempre um propósito, também é verdade que não sei se alguma vez encontrei imagens que servissem tanto um desígnio como estas que aqui publico. À primeira leitura, salta-nos à cabeça todo o tipo de argumentos em torno de ética, bom ou mau gosto, mas quando as ideias assentam, efetivamente deparamo-nos com a mais singular ode ao amor de que me posso lembrar.

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

Lindsey Natzic-Villatoro tem um lema que me limito a traduzir: “Tenho muito orgulho em criar uma imagem que permitirá lembrar pequenas coisas muito para além de já se ter esquecido tudo”. As suas mais recentes fotografias esmagaram-me. Com a devida autorização, tomo a liberdade de aqui as publicar. Têm tanto de belo como de perturbador, mas a partilha desta história é um pedido expresso de quem a protagonizou.

Não entrarei em detalhes, porque as imagens falarão por si. De uma forma resumida, esta é a história da família Staley. Richard Staley, o pai, de 29 anos; Emily Staley, a mãe, de 26 anos; e Monroe Faith Staley, a bebé.

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

No passado dia 25 de julho, já perto do fim da gravidez, Emily tomou o pequeno almoço, como de costume, e estranhou a ausência dos habituais movimentos no seu útero. Decidiu passar pelo hospital, onde lhe confirmaram o pior: o feto não estava vivo, tinha morrido sufocado com o cordão umbilical. A criança tinha de ser retirada, ou por parto natural ou por cesariana. Optando-se por esta última, a intervenção cirúrgica ficou marcada para algumas horas mais tarde.

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

Este é o momento em que os pais tomam a mais difícil e (não) discutível decisão. No seio do flagelo de que acabavam de ser alvo, acharam que documentar o momento numa sessão fotográfica familiar poderia servir como uma partilha junto de todos os pais que já passaram por tão difícil tormento, num pressuposto de conforto e como meio de passar a mensagem de que não estão sozinhos.

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

A sessão fotográfica tinha por missão retratar a falecida bebé no primeiro contacto com os pais e o trabalho coube a Lindsey. Na página de facebook da Love Song Photography estão relatados os detalhes a que vos pouparei aqui. Está lá tudo, todas as trocas emocionais entre a fotógrafa e os pais e como Lindsey executou o seu trabalho lavada em lágrimas. Vale bem a pena ler o esmagador texto que a fotógrafa partilha connosco.

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

Quanto às imagens, são as que vêem nesta página. A sua partilha é um pedido expresso de Emily e Richard, assim como a sua história, que, acreditam, dará conforto e ajudará os pais a quem lhes possa ter acontecido o mesmo a partilhar a dor. As imagens são de uma beleza sem precedentes, ainda que provoquem um turbilhão emocional que nos deixa sem palavras. A história que têm por trás nunca mais será esquecida.

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

© Lindsey Natzic-Villatoro , Love Song Photography

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.